Air Supply, para os eternos apaixonados. - SOM DO MEU TEMPO

Destaque

Home Top Ad

Post Top Ad

12.1.20

Air Supply, para os eternos apaixonados.



Com suas doces baladas fortemente orquestradas, o grupo de pop rock ‘soft’ australiano Air Supply tornou-se um ícone nas rádios no início dos anos 80, atingindo o número de de sete sucessos colocados no topo 5 dos singles. Air Supply, para a maior parte das intenções e propostas, era a dupla de vocalistas Russell Hitchcock e Graham Russell, porém outros membros entraram para a banda no decorrer dos anos. Apesar disso, eles apenas funcionaram como músicos de apoio e pouco adicionaram ao som original da banda.


Hitchcock e Russell se conheceram durante a produção da montagem australiana para o musical Jesus Cristo Superstar no dia 12 de maio de 1975, só não imaginaram que deste encontro surgeria uma das bandas românticas mais queridas e populares do mundo. Os dois cantores então fizeram uma parceria e com a adição de quatro músicos de apoio – o tecladista Frank Esler-Smith (o diretor musical do musical); o guitarrista David Moyse; o baixista David Green e o baterista Ralph Cooker – Air Supply nasceu.

Os primeiros demos da dupla foram gravados em uma pequena fita cassete: Love And Other Bruises e If You Knew Me, rejeitados pela maioria das gravadoras (Exceto, pela CBS Redord que admirou seu trabalho e lançou seu primeiro single, indo logo para o primeiro lugar na Austrália). Graham e Russell adotaram o nome de "Air Supply" para a banda porque possuía vários significados. "Air" é um termo usado na música clássica e significa "melodia". Naquela época, parecia que na Austrália todo o restante dos artistas estava fazendo heavy metal. As baladas eram um suspiro em busca de ar fresco. Astrologicamente falando, Graham e Russell são geminianos, o que é também um sinal de "melodia". "No meio dos anos 70, os astros estavam bastante na moda, sabe?", ri Graham.

Por muitos anos, o grupo não ganhou muita atenção fora da Austrália e conseguiu apenas um sucesso até então, o single Love and Other Bruises (1976). Sua primeira exposição internacional somente veio quando foi convidado por Rod Stewart a abrir seus shows na sua turnê na América do Norte. Air Supply assinou contrato com a Arista em 1980, lançando seu primeiro álbum pela nova gravadora no final de 1980. Lost in Love foi o seu maior sucesso nos Estados Unidos, vendendo acima de dois milhões de cópias, gerando hits como Lost in Love, All Out of Love e Every Woman in the World. No ano seguinte, lançaram seu segundo álbum, The One That You Love. A faixa-título tornou-se seu único primeiro lugar naquele país e o album ainda colocou mais dois singles no top 10, Sweet Dreams e Here I Am. Com seu terceiro álbum de 1982, Now and Forever, sua popularidade não chegou a aumentar tanto. Tiveram apenas um sucesso no top 10, Even The Nights Are Better e os próximos dois singles, Young Love e Two Less Lonely People in the World só conseguiram ficar no final do top 40. Em 1983, a banda lançou uma coletânea, Greatest Hits, incluindo uma música inédita, Making Love Out of Nothing at All. O single passou duas semanas em segundo lugar nas paradas, enquanto o album atingiu o sétimo lugar e vendeu mais de quatro milhões de cópias.


Dois anos depois eles lançaram Air Supply, seu quarto álbum pela Arista que incluía seu 19º single, Just As I Am, mas era visível que sua popularidade estava diminuindo nos EUA, embora que sempre crescente nos outros países das Américas, Europa e principalmente Ásia. O álbum foi o primeiro a não ganhar platina. Hearts in Motion (1986) foi de menor sucesso ainda, ficando em 84º nas paradas e ficando lá apenas por nove semanas. A banda ainda lançou um álbum de natal, The Christmas Album em 1987 e ainda neste mesmo ano resolveram terminar, após o desempenho decepcionante dos seus dois últimos álbuns. Hitchcock começou carreira solo sem a participação de Graham e lançou seu primeiro album Russell Hitchcock (1987). Destacou-se a faixa Someone Who Believes in You, uma regravação de Carole King.

Em 1991, a banda se reuniu novamente, lançando Earth Is, mas o álbum não entrou para as paradas, apesar de ter tido sucessos como Without You e Stronger Than The Night tocando nas rádios de vários países. Em seguinda, lançaram The Vanishing Race (1993), cujo single Goodbye foi sucesso no restante do mundo, menos nos EUA novamente. Em 1995, a banda lançou News From Nowhere e voltou às paradas com a regravação do cult hit dos The Righteous Brothers, Unchained Melody. No mesmo ano ainda, gravaram seu registro de sua turnê pela Ásia através do álbum Now And Forever...Greatest Hits Live & More, trazendo uma compilação de todos os seus sucessos ao vivo, uma música nova de estúdio, The Way I Feel e a regravação de seu antigo sucesso, Now and Forever. O album foi lançado mundialmente acompanhado de um vídeo-disc CD (VCD), laser disc (na versão karaokê), VHS e ainda um cd-rom interativo chamado As Close As This (1996). Ainda no final da década, o Air Supply lançou mais um álbum de estúdio, The Book of Love (1997) - marcado pela inclusão de vocais femininos nos backing vocals e um novo ritmo nas melodias e arranjos – e uma nova coletânea, The Ultimate Collection (1999), com seus sucessos remasterizados e duas músicas inéditas, Longer (cover) e The Scene (incluída mais tarde no album Yours Truly, 2001).

No novo milenium, a banda lançou Yours Truly (2001), seu último album pela BMG (antiga Arista), cujo single “You Are The Reason” (em dueto com Menhaz, uma cantora indiana) obteve relativo sucesso. Depois disso, a banda começou a lançar seus álbuns de estúdio através de sua nova gravadora, Nice Pear. Surgiram então Celestine Travelers e The Heart of the Rose (2002) e The Future (2007, álbuns de Graham Russell), Across The Concrete Sky (2003, destaque para The Shadow of the Sun, sucesso ao vivo), e The Singer And The Song (2005). Além dos albuns It Was 30 Years Ago Today (2005, album gravado ao vivo no Canadá pela gravadora Evolution LTD) e Love Songs (2005, ainda pela BMG, que traz a última gravação inédita de estúdio da banda, Miracles).

A banda continua bastante ativa, percorrendo o mundo em turnês ao vivo, incluindo no seu repertório os seus grandes sucessos, assim como gravações solos de Graham Russell do seu último álbum The Future e canções inéditas da banda, por enquanto somente tocadas ao vivo, como The River and Me, Faith in Love, Let Me Be The One e A Little Bit of Everything. A banda promete lançar um novo álbum de estúdio ainda em 2009.
Escrito por Stephen Thomas Erlewine for All Music Guide

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Bottom Ad